quinta-feira, 6 de agosto de 2009

A tréplica que não dei

Na mesma discussão do dia 27 de julho, cheguei a escrever este texto, mas desisti de publicá-lo na discussão. Mas os leitores do Palpite do Dia podem saber o que pensei:

No meu humilde comentário, formulei perguntas que intencionalmente deixei sem reposta. Não necessariamente as tenho, nem necessariamente as omiti. Só quis extrapolar a visão tecnicista que, nós, que nos auto-proclamamos "elite", tendemos a ter. Não quero entrar em questões específicas, mas quero dizer que a Ciência tem seus parâmetros para entender fatos; Religiões tem outros; machismo, feminismo; riqueza, pobreza, cada um tem sua própria maneira de entender as coisas e nenhum é "mais certo" que outro. Não acho que questão alguma pode ficar restrita apenas à academia ou apenas à filosofia ou a qualquer grupo fechado. E nem acho que a senhora pense o contrário.

Com a internet, isso está ficando cada vez mais óbvio. E ela ainda permite que um assunto vire pretexto para outro, como o caso que citei aqui.

Um comentário:

Rê :) disse...

Concordo!

Bjos, bom findi ;)